Passageiro ou Piloto?

“Eu crio a minha própria vida.”
Ou você acredita que as “coisas acontecem” na sua vida?
Antes de me formar como Coach e Mestre Praticante de PNL (Programação Neuro-Linguística), antes de estudar Cabalá, eu vivi para a mediocridade durante décadas, me fazendo de vítima e culpando ou reclamando de situações ou pessoas que ´me faziam´ coisas que me deixavam infeliz. Não me culpo por esta mentalidade e nem pelos meus comportamentos. Se este for o seu caso também, você não deveria.  A gente faz o melhor que pode com os recursos que temos disponíveis agora. E se seu agora for ainda ter uma mentalidade que não te impulsiona para uma vida com abundância, a primeira coisa a fazer é se perdoar. A segunda é se perguntar o que você pode fazer de diferente para obter os resultados que quer em sua vida.
Ninguém é vítima. Apenas fazemos este papel por confundir obter atenção com ter amor. Ao querer ter a atenção dos outros, ficamos a mercê das pessoas, sempre tentando agradá-las ou nos encaixarmos em algum papel que vá nos garantir este falso amor em suas mais diversas formas: carinho, dinheiro, um ouvido amigo, doações de outros recursos que não o dinheiro diretamente, etc.
As coisas acontecem sim em sua vida, mas a questão é como você reage a elas, como você percebe  e interpreta as situações. Adoro pensar num carro trafegando por uma avenida movimentada para ilustrar as opções de reação que você tem. Você escolhe sentar no banco traseiro do passageiro e se por no papel de vítima, achando que alguém ou uma situação conduziu você para a sua ´tragédia´ ou escolhe ser o piloto da sua vida, tendo o poder da responsabilidade de guiar o carro pela avenida da vida e decidir a direção a seguir, os obstáculos a desviar, a velocidade a imprimir?
Este texto é baseado no primeiro Arquivo de Riqueza do livro Os Segredos da Mente Milionária, de T. Harv Eker. No livro, ele aponta para 3 comportamentos que adotamos quando estamos com a mentalidade de vítima:
1 – CULPAR os outros ou as circunstâncias ao invés de olhar para nós mesmos e o que temos pensado ou feito para estar em nossa situação atual. Apontamos o dedo para pessoas, a economia atual, o governo, etc.
2 – JUSTIFICAR ou racionalizar a situação atual, o que só nos faz permanecer nela.
3 – RECLAMAR. Quando você reclama, está se concentrando naquilo que não quer e é isso que vai obter porque o cérebro é programado para manter a congruência entre o que você pensa e o que você faz.
Um exercício que tenho feito e está me gerando insights bem interessantes é o seguinte: Ao final do dia, escreva num caderno uma situação do seu dia que você considere positiva e outra negativa. Escreva em cada uma, como você criou essa situação ou ajudou a criá-la (no caso de haver mais pessoas envolvidas)? Esse exercicio ajuda você a criar e manter responsabilidade sobre o seu ´carro´ e a tomar consciência das estratégias que você usa e que funcionam ou não.
Acrescento ao exercício você se pergunta ´Na situação que negativa para mim, o que eu poderia ter feito de diferente para obter um resultado mais favorável a mim?´
OBS: Seja ecológico! Se o resultado for favorável só para você em detrimento do sofrimento dos outros, mude o objetivo.
Beijo no seu coração,
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s